Buscar
  • Beja Santos

Nas dores musculares e articulares benignas: como prevenir e como tratar


Mário Beja Santos: Os músculos são os tecidos responsáveis pelos movimentos do corpo humanos. A dor muscular ou mialgia pode causar um grande desconforto e até mesmo afetar a nossa vida normal – basta pensar na distensão, nas cãibras e na entorse. As dores musculares localizadas podem comprometer mais do que um músculo, envolver ligamentos, tendões, fáscia (conjunto de tecidos fibrosos), tecidos moles, ossos e órgãos. Dor que pode ficar localizada na região muscular podendo levar à limitação de movimentos. Diz-se que as dores musculares são generalizadas quando podem estar associadas a uma inflamação, como é o caso da gripe.

Quando o músculo estica em demasia ou de forma súbita pode haver uma distensão – que é bastante comum nos músculos das pernas. A entorse resulta de um estiramento ao nível do ligamento – é bem conhecida a entorse do tornozelo, aqui o diagnóstico é clínico e baseia-se nos sintomas. Numa entorse grave impõe-se a observação por um ortopedista. Na entorse ligeira ou moderada pode haver aplicação de compressas ou de uma ligadura elástica, seguida de repouso. Para além da entorse no tornozelo, são também comuns as entorses do joelho e do arco do pé. A tendinite diz respeito à inflamação dos tendões.

O estilo de vida e a natureza da atividade física que se pratica podem aliviar um grande número destas dores musculares: ter uma vida ágil evitando esforços excessivos; quando afetado por uma destas dores musculares ou articulares aplicar gelo nas primeiras horas posteriores ao trauma; cuidando da sua atividade física realizar exercícios com moderação; aprender a repousar; evitar atividade aeróbica de alto impacto; e se o ortopedista prescrever fisioterapia, cumprir à risca tal programa.

O tratamento destas dores musculares e articulares tem uma ferramenta chamada método PRACE (que significa: proteção, repouso, arrefecimento, compressão e elevação), que noutros termos significa o seguinte: proteger a região para evitar agravamento da lesão (é o caso da banda elástica); cuidar do repouso para acelerar a cura dos tecidos afetados; proceder ao arrefecimento logo após a lesão, aplicando sacos para gelo de borracha ou sacos com gel reutilizáveis; compressão da zona com recurso a uma ligadura elástica; elevação do membro lesionado-

Importa dizer que a terapêutica para estas dores musculares, com recurso a anti-inflamatórios não-esteroides, medicamentos irritantes locais e até medicamentos para o tratamento oral. O aconselhamento farmacêutico releva-se de uma importância muito grande. Há situações em que, para a mesma substância ativa, o medicamento pode apresentar-se sob a forma de creme, pomada, aerossol ou emplastro. Os anti-inflamatórios não estão recomendados para crianças com menos de 12 anos. O farmacêutico lembrar-lhe-á que estes medicamentos tópicos (isto é, de aplicação na pele) não devem ser usados se existirem lesões ou feridas, nem deve ser aplicado calor simultaneamente. Aproveita-se para lembrar aos doentes crónicos que se precisarem de tomar analgésicos para tratar estas dores ou musculares de menor gravidade devem informar o farmacêutico sobre as doenças e os medicamentos que tomam regularmente, para que lhes sejam recomendados os analgésicos que menos interfiram com a terapêutica que estejam a seguir.

0 visualização0 comentário